Blog da Magda Vieira; Nutrição, Saúde e Bem-Estar

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Muito refrigerante pode causar agressividade em adolescentes

Açúcar e cafeína presente na bebida podem ser a causa



Adolescentes que tomam muito refrigerante estão mais propensos a ter comportamento agressivo e sofrer de estresse, diz um estudo feito por cientistas da Universidade de Boston (EUA) e publicado na revista científica Injury Preventin. A pesquisa observou que jovens que bebem mais de cinco latas da bebida por semana são significativamente mais propensos a ter atitudes violentas. 
O estudo baseou-se em entrevistas com 1.878 adolescentes de 14 a 18 anos, de 22 escolas públicas da cidade americana de Boston. Os jovens foram classificados em duas categorias: "baixo consumo", até quatro latas por semana; e "alto consumo", mais de cinco latas por semana. Essas atitudes foram avaliadas junto a outros fatores que poderiam influir nos resultados, como gênero, consumo de álcool e tabaco e as horas de sono. 
Como resultado, apenas 23% dos que bebiam uma ou nenhuma lata de refrigerante por semana responderam que se achavam agressivos. Já entre aqueles que bebiam mais de 14 latas por semana, o número chegava a 43%. A proporção daqueles que tiveram condutas violentas com os companheiros aumentava de 15% naqueles que quase não bebiam refrigerantes para 27% entre os que bebiam 14 ou mais por semana ou cinco latas por dia. 
Os pesquisadores acreditam que a agressividade dos adolescentes observada na pesquisa está ligada ao açúcar e à cafeína, componentes presentes na maioria dos refrigerantes, mas é necessário fazer mais estudos para provar essa relação.  

Bebida também envelhece 

Os efeitos negativos dos refrigerantes não são observados apenas em adolescentes. Uma pesquisa da Universidade de Harvard, dos Estados Unidos, apresenta os altos níveis de fosfato encontrados na bebida como um dos fatores de aceleramento do envelhecimento precoce. 
Segundo os pesquisadores, elevados níveis de fosfato podem acelerar os sinais de envelhecimento, aumentando a prevalência de doenças relacionadas com a idade, como doença renal crônica e calcificação cardiovascular, além de induzir à atrofia muscular e de pele. 
Para chegar a tal conclusão, os pesquisadores analisaram os efeitos do nutriente em 200 voluntários e os resultados foram surpreendentes: dos 200 voluntários avaliados durante seis semanas de pesquisa, 90 apresentaram sinais de envelhecimento celular após consumir dois copos de refrigerante por dia.  
Entre os participantes, 60 tiveram sintomas de doença renal e apenas 50 não sofreram nenhuma alteração com a ingestão da bebida. De acordo com os pesquisadores, quando o fosfato entra no organismo, reage com as substancias responsáveis pelo metabolismo celular acelerando o processo de envelhecimento. 
O fosfato é encontrado naturalmente em alguns grãos, leite, gema do ovo, mas é adicionado em quantidades maiores em refrigerantes, chocolates, pirulitos, balas, doces industrializados, sorvetes, ketchup, maionese e pratos prontos, incluindo os congelados. 

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Bendita é a fruta

Comer as frutas certas é o segredo para ficar mais bonita.



          A manga, por exemplo, rica em vitamina C, deixa a pele e o cabelo saudáveis, fortaleces as defesas do corpo e combate os radicais livres – um dos vilões responsáveis pelo envelhecimento.

         Já o melão possui baixas calorias, contém vitaminas A, C e ácido fólico (bom para as grávidas). “Diuréticas e antioxidantes, essas duas frutas ‘varrem’ os radicais livres do corpo, aliviando o stress e prevenindo doenças crônicas, como alguns tipos de câncer e diabetes”.

ANOTE: ½ manga sem a casca e em pedaços, polpa de 1 melão tipo tipo prince em cubinhos, 2 maçãs vermelhas em fatias, suco de 1 limão, 1 colher (sopa) de salsinha e outra de hortelã picadas, 3 colheres (sopa) de óleo, 1 colher (chá) de açúcar, ¼  xícara de avelãs moídas, 3 talos de salsão em pedaços e sal a gosto. Numa tigela, junte o suco de limão, a salsinha, a hortelã, o óleo, o açúcar, a avelã e o sal. Misture bem. Reserve. Coloque as frutas numa saladeira, acrescente o molho de limão e decore com folhas de salsão. Dá quatro porções.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Descobrir motivo de compulsão por comida é vital para emagrecer

Muitas vezes, a necessidade de comer vem de carências não-resolvidas


A compulsão é um grande tormento para milhares de pessoas que sofrem com o sobrepeso e obesidade. Quem nunca teve um momento de deslize e exagerou ao comer, não sabe a culpa e a auto-recriminação que as pessoas sentem quando acabam comendo em excesso. 
A compulsão, é o termo utilizado para atos que o indivíduo se sente coagido internamente a realizar e, se não o fizer, haverá incremento da angústia. 
Desta forma, podemos pensar em como a comida acaba levando a uma satisfação rápida, tanto de emoções, como de sentimentos angustiantes, pois é uma forma rápida de compensação e de alívio. 
O foco é identificar o que em você não está sendo bem canalizado, preenchido, e que a comida está tendo que tapar.
A forma de pensar gordo tem relação direta nesse aspecto, pois ao avaliarmos esses indivíduos, verificamos que os mesmos estabelecem uma relação de dependência a nível de satisfação, tanto corporal quanto pessoal.
O segredo é criar consciência do motivo que está comendo. Se está com fome, se come para acompanhar alguém, ou porque está descontando emoções na comida, e se perguntar sempre o porquê está comendo. 
Diante desses questionamentos, o único caso que deve ser resolvido com comida é a fome. Se estiver triste chore; se está ansioso, tome um banho, relaxe, respire fundo. O importante é vivenciar as emoções e resolver cada uma delas com a solução mais adequada, isto é, permitir sentir o que está acontecendo e procurar resolver da forma mais assertiva, que com certeza não será a comida. 
A partir daí, você vai começar a perceber a diferença entre fome-física e fome-emocional, e vencer a compulsão. Essa percepção e o reconhecimento das duas situações distintas abrem seu leque de opções, dando instrumentos para lidar melhor com essas situações. 
É você quem vai decidir se come ou não come, é você que tem que ter o controle sobre seu corpo e emoções. Como comer é para a vida toda, é importante que aprenda a lidar com a comida, pois viver de regime é contraproducente e gera compulsão alimentar. 
Se mesmo depois de tomar todas as medidas necessárias para perder peso você não conseguir emagrecer por não ter mantido as orientações, procure um psicólogo para poder compartilhar e solucionar aquilo que não está determinado apenas na necessidade orgânica de se alimentar. Juntos, vocês trabalharão o motivo pelo qual você está precisando se alimentar de comida, e não de afeto, carinho, alegrias e realizações. Aprenda a viver a vida com prazer, pois em nossa rotina diária, acabamos não nos permitindo vivenciar atividades prazerosas e vamos sendo esmagados pelas obrigações. 
As mulheres quando estão acima do peso, acabam por se afastar das atividades sociais e que eram prazerosas para elas. Desta forma, ocorre um aumento da ansiedade, e a comida passa ser uma das únicas fontes de prazer, podendo gerar crises de compulsão e a obesidade. 
O foco é identificar o que em você não está sendo bem canalizado, preenchido, e que a comida está tendo que tapar. 

9 dúvidas esclarecidas sobre alimentos diet, light, funcionais e suplementos alimentares

Tanta denominação para os alimentos gera confusões na hora da compra. Nesta matérias, elas são esclarecidas.


1. O que é um produto diet?

Os produtos diet são aqueles especialmente formulados e que sofreram modificação no conteúdo de nutrientes (carboidratos, gorduras, proteínas, sódio) e açúcares adequando-os à utilização a que se destina e, ao mesmo tempo, atendendo às necessidades das pessoas que apresentam alguma necessidade específica.

O conteúdo desses nutrientes deve ser de:

- Alimentos para dietas com restrição de carboidratos: no máximo, 0,5 g do carboidrato por 100 g ou 100 mL.
- Alimentos para dietas com restrição de gorduras: no máximo, 0,5 g de gordura total por 100 g ou 100 mL.
- Alimentos para dietas com restrição de proteínas: deve ser isento de proteína relacionada ao distúrbio. Por exemplo, pessoas portadoras de fenilcetonúria devem consumir alimentos isentos de fenilalanina. Pessoas portadoras de doença celíaca devem utilizar alimentos isentos de glúten.
- Alimentos com restrição de açúcar: não devem ser adicionados açúcares no produto, mas pode conter o açúcar naturalmente presente nos ingredientes do produto. Por exemplo, uma geléia de frutas apresentará, naturalmente, a frutose (açúcar da fruta), mas para ser classificada como diet, ela não poderá acrescentar açúcares (por exemplo, sacarose).

Além desses alimentos, os que são formulados para o controle de peso como, por exemplo, shakes, também podem receber a designação de diet se atenderem as recomendações feitas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

 2. O que é um produto light?

Para a classificação do alimento light é necessário um alimento de comparação. O alimento será definido como light quando apresentar uma diferença mínima, para menos, de 25% no valor energético ou de nutrientes em relação ao alimento comparado.
Além do método comparativo, é possível classificar o alimento como light de acordo com os valores absolutos. Por exemplo: 

Para a quantidade de calorias:

Alimento sólido: no máximo, 40 calorias por 100 g do alimento.
Alimento líquido: no máximo, 20 calorias por 100 mL do alimento.

Para a quantidade de gorduras totais:

Alimento sólido: máximo de 3 g de gorduras por 100 g do alimento.
Alimento líquido: máximo de 1,5 g de gorduras por 100 mL do alimento.

Para cada nutriente há os valores limites de classificação. Os dois valores acima são exemplos. Não é necessário que todos os nutrientes ou valor calórico sejam atingidos ao mesmo tempo. Se um for atingido, o alimento já pode ser classificado como light.

3. Quem deve consumir produtos diet e quem deve consumir produtos light?

Tanto o alimento light quanto o alimento diet devem ser consumidos de acordo com a necessidade individual. O alimento diet é desenvolvido para atender pessoas com alguma necessidade metabólica (diabéticos, fenilcetonúricos, celíacos). Por outro lado, o alimento light pode ser utilizado por essas pessoas também. Por exemplo, um pão light que não tem adição de açúcar pode ser utilizado pelos diabéticos.
Como vimos, uma alimento light ou diet não significa, necessariamente, que ele seja reduzido em calorias. A designação light ou diet pode ser em decorrência a restrição de algum nutriente e não da quantidade de calorias. Por isso, é importante ler o rótulo e verificar se o alimento irá atender as necessidades.

4. Há alguma situação em que é arriscado consumir diet ou light (infância, gravidez)? Em qual (quais) e por quê?

Não existe nenhuma proibição em relação aos alimentos diet e light, até mesmo em relação à utilização de adoçantes. Entretanto, como é possível ter uma alimentação equilibrada sem a utilização de adoçantes, o recomendado é para que as gestantes e as crianças os consumam em pequenas quantidades, evitando fazer o uso diário e em grande quantidade deles.

5. Há quem simplesmente limita a dieta a alimentos de baixa caloria como forma de perder peso. Isso é recomendável?

A restrição de calorias é o princípio básico de quem deseja emagrecer. A restrição calórica é necessária para que haja o emagrecimento. Entretanto, é importante conciliar uma alimentação com baixas calorias com uma elevada qualidade nutricional dos alimentos. Não é correto, por exemplo, ingerir doces, bolos, tortas diariamente, mesmo estando dentro da quantidade calórica necessária para a eliminação de peso.

6. O que são alimentos funcionais?

Os alimentos funcionais são aqueles que, além de produzir as funções básicas, apresentam um nutriente ou substância que tem papel metabólico ou fisiológico no crescimento, desenvolvimento, manutenção ou outros efeitos benéficos para o organismo.

Abaixo estão descritos alguns nutrientes ou substância com propriedades funcionais.

* Betacaroteno
Ação no organismo: Antioxidante que diminui o risco de câncer e de doenças cardiovasculares.
Fontes alimentares: Abóbora, cenoura, mamão, manga, damasco, espinafre, couve.

 * Licopeno
Ação no organismo: Antioxidante relacionado à diminuição do risco de câncer de próstata.
Fonte alimentar: Tomate.

 * Fibras
Ação no organismo: Redução do risco ao câncer de intestino e dos níveis de colesterol sangüíneo. Fontes alimentares: Frutas, legumes e verduras em geral e cereais integrais.

 * Flavonóides
Ação no organismo: Antioxidantes que diminuem o risco de câncer e de doenças cardiovasculares. Fontes alimentares: Suco natural de uva, vinho tinto.

 * Isoflavonas
Ação no organismo: Redução dos níveis de colesterol sangüíneo e do risco de doenças cardiovasculares. Fonte alimentar: Soja.

 * Ácido graxo ômega-3
Ação no organismo: Redução dos níveis de colesterol sangüíneo e do risco de doenças cardiovasculares. Fontes alimentares: Peixes, óleo de peixes.

* Probióticos
Ação no organismo: Ajudam no equilíbrio da flora intestinal e inibem o crescimento de microrganismos patogênicos. Fontes Alimentares: Iogurtes, leite fermentado.

7. O que devemos fazer para obter os benefícios dos alimentos funcionais? É preciso comê-los como se fossem "remédios"?

Os alimentos funcionais não devem ser confundidos com "remédios". Os funcionais têm como função a prevenção de doença e, por isso, é incorreto a comparação de que eles atuam como "remédios". Os medicamentos servem para tratar doenças já estabelecidas e, por outro lado, os alimentos funcionais atuam na prevenção para o desenvolvimento de patologias.
Os alimentos funcionais são os encontrados no dia a dia. Por isso, é importante o estímulo diário para seguir uma alimentação saudável e variada, incluindo frutas, legumes, verduras, peixes, carnes magras, leites e derivados.

 8. O que são suplementos alimentares?

Os suplementos ou complementos alimentares são produtos indicados para, como o nome diz, complementar a dieta de pessoas que não apresentam nenhuma doença ou deficiência alimentar, ou seja, eles complementam a dieta de uma pessoa saudável, visando atingir o valor diário recomendado dos nutrientes.

 9. É seguro consumir suplementos alimentares sem orientação médica?

Os complementos não são utilizados para tratar deficiências nutricionais e não possuem, portanto, indicação medicamentosa. Assim, eles não precisam ser utilizados sob orientação de um profissional, apesar da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) exigir a seguinte informação no rótulo do alimento "Consumir preferencialmente sob orientação profissional". O ideal é que o indivíduo procure a orientação de um nutricionista para que possa ter esclarecimentos sobre possíveis efeitos de uma superdosagem ou, ainda, se o produto é adequado para o perfil do paciente.


sábado, 5 de novembro de 2011

Piadinha

POR QUE EVA COMEU A FRUTA ? 


Não foi assim facinho não!!!
No início, Eva não queria comer a fruta.
- Come - disse a serpente astuta! - e serás como os anjos!
- Não - respondeu Eva. Virando a cara para o lado!
- Terás o conhecimento do Bem e do Mal - insistiu a víbora.
- Cruzou os braços, olhou bem na cara da serpente e respondeu firme: Não!
- Serás imortal.
- Não! Já disse!
- Serás como Deus!
- NÃO, e NÃO! Já disse que NÃO!

Irritadíssima, quase enfiando a fruta goela abaixo, a serpente já estava desesperada e não sabia mais o que fazer para que aquela mulher, de princípios tão rígidos e personalidade tão forte comesse a fruta. Até que teve uma idéia, já que nenhum dos argumentos haviam funcionado...
Ofereceu novamente a fruta e disse com um sorrisinho maroto:

- Come, boba!!! EMAGRECE!!!!

*Foi tiro e queda!!!! * 

rssss.....
© Blog da Magda Vieira - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Giovanna Lacerda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo