Blog da Magda Vieira; Nutrição, Saúde e Bem-Estar

segunda-feira, 5 de março de 2012

O óleo de coco ajuda a emagrecer?

Só se fala desse oleosinho por ai. Então vamos falar mais um pouco.

Este produto está fazendo o maior sucesso entre os afoitos para ganhar massa muscular e mais ainda entre aqueles interessados em perder peso. A mídia ainda tem um papel decisivo neste cenário uma vez que expõe artistas e famosos que referem ter conseguido façanhas com o uso do produto.
Muita calma para quem pensa em colocar na dieta o óleo de coco imaginando que conseguirá efeitos tão surpreendentes como os artistas em questão! 
Observação: ainda não foi descoberta a fórmula mágica para perder barriga ou fazer sumir quilos a mais do nosso corpo, assim o óleo de coco não é diferente e de fato não é a tal fórmula.
Este produto tem uma característica de interesse para a área da nutrição por ser considerado uma gordura cuja cadeia molecular é de tamanho médio (chamamos de triglicerídeo de cadeia média ou TCM), esta característica permite que tal gordura seja absorvida mais rapidamente e seja mais prontamente utilizada como fonte energética. Este tem sido o grande apelo para a comercialização do óleo de coco.
O outro lado é que trata-se de uma gordura do tipo saturada que é o tipo de gordura classificada como de má qualidade para a saúde cardiovascular, assim como parte da gordura existente em produtos de origem animal, gorduras trans e gordura hidrogenada. Poucos são os estudos que de fato mostram efeitos sobre a saúde humana, pois muitos destes estudos são conduzidos em animais, e os poucos estudos de boa qualidade que apontam os benefícios em pessoas também associaram dieta de calorias reduzida e houve prática de atividade física entre os indivíduos estudados.
Pesquisadores brasileiros da Universidade de Alagoas, em Maceió, publicaram no periódico Lipids, em 2009, um estudo sobre óleo de coco. Nele, 40 mulheres obesas de 20 a 40 anos seguiram, por 12 semanas, uma dieta com restrição calórica (menos consumo de carboidratos, mais ingestão de proteínas e fibras e semelhante consumo de gordura) e praticaram 50 minutos de caminhadas todos os dias. Metade delas ingeriu suplementos óleo de soja e as outras, de óleo de coco. Antes do início do estudo, as participantes apresentavam níveis de colesterol, índice de massa corporal (IMC) e medidas abdominais parecidas. Ao final da pesquisa, aquelas que consumiram óleo de coco apresentaram maiores níveis de HDL, o colesterol 'bom', e menores de LDL, o colesterol 'ruim', enquanto o outro grupo teve os dois tipos de colesterol aumentados. A redução do IMC foi observada nos dois grupos, embora somente o grupo do óleo de coco tenha reduzido a circunferência abdominal.
Os pesquisadores concluíram que dieta com suplemento de óleo de coco não aumenta os níveis de gordura no sangue e reduz medidas abdominais em obesos. Entretanto, eles também observaram que o suplemento pode induzir uma resistência à insulina. Os cientistas, no entanto, concluíram que outros estudos eram necessários para avaliar os efeitos do alimento a longo prazo.
Diretrizes nacionais e internacionais citam o óleo de coco bem como o próprio coco a terem seu consumo reduzido a fim de diminuir o risco para doenças cardiovasculares, principalmente entre aqueles que já apresentam outros riscos associados.
Portanto, é necessário fazer uma avaliação individualizada para o uso correto de tal produto. A melhor forma de controlar o peso, ganhar um corpo saudável e ter uma saúde preservada ainda é praticar um estilo de vida saudável: alimentação equilibrada e atividade física regular.

Um comentário:

  1. Olá, Magda. Tudo bem? Vou encaminhar a próxima newsletter da Cookie para mais de 2 mil pessoas com o link para seu blog, como destaque, OK?

    ResponderExcluir

© Blog da Magda Vieira - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Giovanna Lacerda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo