Blog da Magda Vieira; Nutrição, Saúde e Bem-Estar

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Sangue tipo O corre menos risco de sofrer infarto e AVC



Estudo mostra quais grupos sanguíneos estão mais vulneráveis a doenças cardiovasculares

Saber o seu tipo sanguíneo pode ser tão importante para a saúde cardiovascular quanto fazer check-ups de rotina para verificar os níveis de colesterol e a pressão sanguínea. Isso é o que aponta um novo estudo publicado no Arteriosclerosis, Thrombosis and Vascular Biology, um periódico do American Heart Association Journal. Segundo eles, o tipo sanguíneo mais raro, o AB se mostrou o mais vulnerável, enquanto que o grupo mais popular, o tipo O, foi apontado como o menos propenso a sofrer com doenças cardiovasculcares.
A descoberta foi baseada em duas amplas pesquisas. Uma do Nurses? Health Study, com mais de 62 mil pessoas e outra do Health Follow-up Study, com mais de 27 mil pessoas. Todos foram acompanhados durante 20 anos e tinham idades entre 30 e 75 anos.
Os resultados mostraram que o grupo sanguíneo mais raro, o AB, era o mais vulnerável a doenças cardiovasculares. O risco de sofrer alguma doença cardíaca era 23% maior em relação ao grupo com tipo sanguíneo O. Adultos com sangue tipo B, por sua vez, apresentaram um risco 11% maior de ter doenças cardíacas, enquanto que o risco do grupo com tipo A era 5% maior em relação aos do tipo O.
Para os autores, a pesquisa aponta que o tipo sanguíneo pode reforçar a necessidade de mudanças no estilo de vida. O próximo passo da equipe é avaliar se pessoas com diferentes tipos sanguíneos respondem de forma diferente a essas mudanças que incluem dieta e exercícios.

Adote esses hábitos para proteger o coração

Cerca de 31,5% dos óbitos no Brasil são provocados por doenças cardiovasculares, aponta o Ministério da Saúde. Esta é, portanto, a primeira causa de morte entre a população brasileira. Confira cuidados para proteger a saúde do seu coração:
1. Combata o estresse
Um dos efeitos do estresse é o aumento do colesterol, que causa hipertensão e obstrui as artérias do coração. Além disso, a ansiedade também aumenta a liberação de cortisol no organismo, elevando as taxas de glicose no sangue, o que favorece o desenvolvimento de doenças como o diabetes, que colocam o coração em perigo.
2. Consuma óleos vegetais
Óleos tradicionais são vilões do coração, pois contêm gorduras saturadas. Prefira, portanto, os óleos vegetais, como o azeite de oliva, que ajudam a controlar os níveis de colesterol.
3. Maneire nas carnes
Principalmente a carne vermelha possui uma quantidade maior de colesterol. Por isso, limite o consumo desse tipo de carne, preferindo frango e peixe, e sempre elimine a gordura visível das peças.
4. Limite o consumo de açúcarUm estudo publicado no Journal of American Medical Association sugere que o açúcar pode afetar as taxas de lipídios, aumentando os níveis de triglicerídeos e colesterol, fatores de risco para doenças cardiovasculares.
5. Coma mais vegetais
Um estudo publicado no periódico Circulation mostrou que o consumo de proteínas de origem vegetal está associado à redução da pressão arterial. Tal ação se deve ao principal aminoácido encontrado nessas proteínas, o ácido glutâmico.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Suplementação para corrida de rua



Atualmente o número de pessoas adeptas à corrida de rua aumenta a cada dia…

São pessoas que buscam emagrecimento, qualidade de vida, diversão, alívio do estresse, melhora da performance, etc. Independente do objetivo, é importante que os corredores de rua procurem orientação tanto na parte de treinamento (afinal, o treino na rua é mais desgastante e impactante do que na esteira, por exemplo) e na parte da alimentação. Um nutricionista esportivo deverá ser consultado para adequar a dieta e suplementação a esses praticantes ou atletas.

Abaixo listarei alguns dos suplementos mais indicados para a prática de corrida, trazendo benefícios na agilidade, resistência e recuperação muscular. Eles deverão ser usados desde que o plano alimentar já esteja correto. Confira:

1 - Hipercalóricos/ Substitutos de refeição

Os hipercalóricos nada mais são do que uma mistura de carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais, ou seja, muitos deles são considerados substitutos de refeição, por terem todos os nutrientes que precisamos. Eles conseguem aumentar o aporte calórico diário, de forma saudável, possibilitando assim, um balanço energético positivo, necessário aos corredores que possuem um gasto muito elevado. Porém, esse tipo de suplemento não deve ser usado para pessoas que desejam emagrecer, somente para aqueles que não conseguem comer muito e que desejam colocar mais calorias na dieta.

2 - Proteínas e aminoácidos   

As proteínas (whey protein, caseína, albumina, etc.), de forma geral, são usadas para melhorar a recuperação muscular, ganho de força e produção de energia durante o exercício. Podem ser usadas pré-treino, pós-treino, ao acordar e antes de dormir, lembrando que a whey protein é de absorção rápida e caseína, albumina e soja, de média-lenta absorção. Ao acordar e após o treino a melhor opção são as de digestão rápida e antes do treino e antes de dormir, absorção médio-lenta.

Os aminoácidos (BCAA’s, glutamina, arginina) melhoram a resistência muscular, regeneram o sistema imunológico e realizam manutenção da massa muscular presente (anticatabolismo). Excelentes para a recuperação, muito importante para quem treina todos os dias ou sente muitas dores musculares.

3 - Estimulantes 

Substâncias estimulantes são muito interessantes para quem deseja melhorar desempenho, foco, agilidade e ainda queimar gorduras em excesso. Os mais indicados são suplementos e/ou fórmulas manipuladas que contenham cafeína, chá verde, inositol, citrus aurantium, taurina, fucus, erva mate, porangaba, etc.

4 - Carboidratos

Podem ser usados na forma em pó, líquida ou gel, tanto faz! Todo corredor que se preze deve ter uma dieta e suplementação ricas em carboidratos, afinal, ele é o principal fornecedor de energia. Os suplementos com carboidratos podem ser usados antes, durante e após os treinos.

5 - Protetores de articulações 

São os suplementos que contém condroitina, glucosamina e MSM. São excelentes para proteger e lubrificar joelhos e tornozelos, muitas vezes lesionados na corrida, então, a ordem é prevenção e alívio de dores já existentes, evitando lesões graves e cirurgias no futuro.

6 - Isotônicos/Repositores

Bebidas isotônicas são ótimas para treinos intensos, dias de competição, etc., afinal, além de possuírem carboidratos, que mantém o nível de glicose no sangue e nos depósitos, contém ainda minerais perdidos durante o suor, então elas ajudam a repor líquidos, carboidratos e minerais, prevenindo desidratação, cãibras, tonturas, mal-estar, etc. Também podem ser usados antes, durante e após os treinos e até ao longo do dia também.

Lembrando que cada caso é um caso, então, não necessariamente é necessário o uso de todos os suplementos listados. Para saber quais os melhores para o seu caso, consulte um nutricionista esportivo.

Bons treinos!

Crianças conhecem importância do valor nutricional dos alimentos




Segundo pesquisa da Unesp, como elas não escolhem preparações, entendimento não se reverte em alimentação balanceada

Estudo conduzido na Universidade Estadual Paulista (UNESP) aponta que, de forma geral, as crianças percebem a importância da alimentação saudável, com frutas, hortaliças, cereais, fontes de carboidratos e de proteínas e sem excessos de açúcares e gorduras. Porém, como não escolhem as preparações que lhes são servidas nas principais refeições, esse entendimento, muitas vezes, não se reverte em alimentação balanceada.

O estudo permitiu identificar a compreensão dos estudantes sobre as diferentes funções dos alimentos, ou seja, para eles, vitaminas e minerais são reguladores das funções orgânicas e possuem propriedades antioxidantes, devendo ser preferidos em relação aos alimentos ricos em açúcares e gorduras. Assim, comidas que fornecem energia somente foram vistas como prejudiciais à saúde , para quem tal concepção é consequência da forma como o tema é apresentado à criança nos diferentes cenários de vivencia.
  
Pesquisa

Em entrevista com a professora dos escolares, esta disse ter abordado com eles os conceitos fundamentais com alimentos e nutrição, mas reconheceu a falta de tempo em sala de aula para os assuntos transversais dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs).

A educadora também relatou que, algumas vezes, o material didático é insuficiente e que não se sente plenamente capacitada para tratar todos os assuntos relacionados aos temas. " Percebe-se, na fala da professora, a ausência de uma educação nutricional que adote estratégias nas quais os estudantes possam participar ativamente da construção dos conhecimentos" , comenta a professora Eliana Goldfarb Cyrino, orientadora na pesquisa.
 
Conflito entre a informação e as práticas alimentares

As crianças estão abertas a novos conhecimentos sobre alimentação e nutrição, porém percebe-se que suas rotinas alimentares em família e na escola são repetidas, promovendo hábitos nem sempre condizentes com suas necessidades. Eles vivenciam um conflito entre o que aprendem e o que consomem, em geral por escolha dos adultos.

Os entrevistados revelaram consumir poucas hortaliças e frutas. No entanto, frituras e bebidas industrializadas estão diariamente presentes nas refeições, principalmente nos lanches, embora eles reconheçam que estes últimos são prejudiciais a saúde.

Os hábitos alimentares relatados pelos escolares são influências principalmente das mães, presentes na compra e no preparo das refeições. Fica claro que por motivos diferentes - praticidade ou prazer -, as famílias estão trocando alimentos saudáveis por industrializados, ou que podem ser adquiridos e preparados com maior facilidade. Contudo, há casos em que a mãe também foi apontada como incentivadora da alimentação saudável e promotora da disponibilidade dos alimentos de qualidade nutricional, possibilitando, portanto, a mudança dos hábitos alimentares.
 
Conhecimento saudável
 
Frente aos desafios do aumento da obesidade na infância e da mudança dos hábitos alimentares, nem sempre saudáveis, as falas das crianças ampliam o trabalho educativo nessa temática.

Os entrevistados possuem um repertório sobre alimentação e nutrição construído a partir do cotidiano, na vivência entre familiares e amigos, na escola com a contribuição dos meios de comunicação. No entanto, muitos conceitos são assimilados de forma equivocada, comprometendo o entendimento mais amplo sobre o tema.

Vale lembrar que na idade escolar são estabelecidas as preferências e restrições alimentares, origens do comportamento de toda a vida. Para ela, a integração dos setores de educação e saúde poderia contribuir para ampliar e melhorar a transmissão do conhecimento sobre alimentação saudável.



Sete receitas de tortas que vão contribuir com sua dieta


Torta brasileira

Invista nesta mistura de sabores com as cores da nossa bandeira


Um pedaço de torta brasileira - Imagem meramente ilustrativa

Ingredientes:

3 xícaras de chá de farinha de trigo integral
1 e ½ xícara de chá de leite desnatado
1 colher de sopa de fermento químico (pó)
1 Ovo de galinha (cru)
½ Iogurte desnatado natural
5 unidades médias de palmito (conserva)
4 Azeitonas verdes (conserva)
4 colheres de sopa de milho verde (conserva)
½ prato de sobremesa de couve manteiga (crua)
6 Tomates cereja pequenos
1 Cebola pequena (crua)
2 colheres de sopa de cebolinha (crua)
2 colheres de sopa de salsinha (crua)
½ colher de sopa de azeite de oliva (extra virgem)
1 colher de chá de sal Refinado

Prepare a Massa:

Massa
Dissolva a farinha de trigo no leite, junte o iogurte natural, o ovo e o sal. Bata tudo no liquidificador. Por último acrescente o fermento em pó e mexa delicadamente. Reserve. 

Prepare o Recheio:

Higienize adequadamente os vegetais. Corte a cebola e o palmito em cubos pequenos. Pique a salsinha, a cebolinha, a couve e as azeitonas. Junte todos os ingredientes do recheio em uma tigela, tempere com sal e azeite de oliva. Montagem: Coloque a metade da massa sobre um pirex untado, espalhe o recheio delicadamente e por cima acrescente o restante da massa. Decore com os tomate cerejas cortado ao meio. Leve ao forno médio, preaquecido por cerca 30 minutos. Sirva a seguir. 

Torta de bacalhau

Uma delicia que pode ser servida em qualquer ocasião


Pedaço de torta de bacalhau - Imagem meramente ilustrativa

Ingredientes da Massa:

250 g de ricota
2 claras
4 colheres (sopa) de sopa de farinha de trigo
Sal a gosto

Ingredientes do Recheio:

500 g de bacalhau
1 colher (sopa) de azeite
1 cebola picada
2 tomates picados
50 g de azeitonas verdes picadas
Salsa picada a gosto
2 ovos
2 claras
1 xícara (chá) de creme de leite light
1 pitada de sal
4 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado

Prepare a Massa:

Misture a ricota, claras, farinha, tempere com sal e forre o fundo e os lados de uma forma de torta de abrir. 

Prepare o Recheio:

Deixe o bacalhau de molho por 24 horas, trocando a água várias vezes, desfie e reserve. Refogue a cebola no azeite, junte bacalhau, tomate, azeitonas, adicione salsa e retire. Espere amornar e coloque sobre a massa de torta. Bata os ovos, clara, creme de leite, sal e coloque sobre o refogado. Salpique parmesão e leve ao forno médio por cerca de 30 minutos.

Informação nutricional por porção:

Rendimento: 10 porções
269,1 kcal

Torta de frango e abobrinha

Descubra essa opção light que vai renovar a sua dieta


Garfo cortando o pedaço da torta de frango - Imagem meramente ilustrativa

Ingredientes:

1 cebola picada
2 colheres (chá) de azeite
2 abobrinhas raladas
Tomilho fresco a gosto
300g de peito de frango moído
2 claras
Salsa picada a gosto
2 dentes de alho amassados
1 colher (sopa) de molho inglês
Sal a gosto
1/2 xícara (chá) de farinha de rosca
2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
1 pitada de páprica doce

Modo de Preparo:

Refogue a cebola no azeite, junte a abobrinha e o tomilho e deixe cozinhar; reserve. À parte, misture bem o frango moído, a clara, a salsa, o sal, a farinha de rosca, o parmesão e a páprica. Forre o fundo do refratário com metade da mistura da farinha de rosca, queijo parmesão e a páprica. Acrescente a massa de frango e leve para assar. Retire e coloque por cima a abobrinha refogada e o restante da farinha e leve ao forno médio por mais 5 minutos.

Torta de queijo branco

Esta receita light é para animar quem faz dieta para emagrecer


Mini torta de queijo branco - Imagem meramente ilustrativa

Ingredientes:

1 colher de sopa de fermento
1 colher de chá de sal
2 tomates
2 ramos de manjericão fresco
6 fatias médias de queijo minas 0% de gordura
2 colheres de sopa de farinha de trigo
2 colheres de sopa de farinha de trigo integral
1 ovo inteiro
1,5 xícaras de leite desnatado 

Modo de Preparo:

Bata no liquidificador o leite e os ovos. Junte a farinha de trigo peneirada, o fermento, o sal e bata novamente. Reserve. Pique os tomates, o manjericão e o queijo minas light em cubos. Misture com a massa e despeje em uma fôrma untada. Leve para assar em forno médio, preaquecido, por cerca de 1 hora. Sirva a torta fria ou quente.

Valor calórico: 89,6 Kcal/ porção
Rendimento: 8 porções

Torta rápida de queijo e presunto

Rápida e fácil, esta receita irá te conquistar


Pedaço de torta de queijo com presunto - Imagem meramente ilustrativa

Ingredientes:

8 fatias de queijo prato
8 fatias de presunto
20 fatias de pão frâncer amanhecido
1 lata de creme de leite
3 ovos inteiros
2 tomates fatiados
Sal à gosto
Orégano e queijo parmesão ralado para polvilhar

Modo de Preparo:

Bata os ovos levemente, acrescente sal e o creme de leite. Em um refratário pequeno despeje um pouco da mistura do líquido, coloque fatias de pão, fatias de queijo e fatias de presunto. Faça quantas camadas derem, por último cubra com o restante do líquido. Coloque o tomate e polvilhe com orégano, queijo ralado e leve ao microondas por 13 a 15 minutos, em potência alta.

Torta de ricota light

Incremente o seu cardápio com esta sobremesa leve


Torta de ricota light - Imagem meramente ilustrativa

Ingredientes:

500 g de ricota
1 copo (200 ml) de leite desnatado
2 colheres (sopa) de leite em pó desnatado
2 gemas
3 claras
1 colher (sopa) de amido de milho
Raspas de limão
5 colheres (sopa) de adoçante culinário
1 colher (sopa) de uva passa
Gotas de baunilha 

Modo de Preparo:

No liquidificador, bata a ricota, o leite desnatado, as gemas, a maisena, o adoçante culinário e gotas de baunilha. Despeje em uma vasilha apropriada e reserve. Bata as claras até o ponto de neve. Junte-as aos poucos à mistura reservada, delicadamente. Acrescente as passas e as raspas de limão. Despeje em um pirex untado com margarina light e farinha de rosca. Leve ao forno e asse por 40 minutos ou até começar a dourar. 

Informação nutricional por porção:

Rendimento: 20 unidades
Calorias: 62 kcal/porção 

Torta vegetariana

Essa receita vai bem em qualquer refeição


Torta vegetariana - Imagem meramente ilustrativa

Ingredientes:

1 lata de milho verde
1 cebola picada
4 folhas de couve
4 colheres de sopa de óleo
3 xícaras (chá) de leite
2 ovos
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 xícara (chá) de queijo minas ralado
1 colher (chá) de sal 

Modo de Preparo:

Retire o talo da couve e corte em fatias finas. Aqueça metade do óleo e refogue a cebola, acrescente o milho, a couve, metade do sal e deixe até murchar a couve. Reserve. No liquidificador coloque o restante do óleo, o leite e os ovos. Bata e acrescente a farinha, o fermento e o sal. Em uma assadeira untada coloque metade da massa, distribua o recheio e cubra com a outra metade da massa. Polvilhe com o queijo. Leve ao forno médio pré-aquecido até dourar. Sirva quente ou na temperatura ambiente.

Para variar substitua a farinha de trigo por farinha de trigo integral.
Se não tiver couve, substitua por agrião, escarola ou brócolis.




quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Requeijão light caseiro



Ingredientes:
1 litro de leite 
3 colheres (sopa) de vinagre branco
2 colheres (sopa) de creme de leite light de caixinha
1 colher (sopa) de margarina light
sal a gosto

Modo de Preparo:
1°- Em uma panela, aqueça 1 litro de leite em fogo médio até ferver. Quando ferver, apague o fogo, retire 1 xícara (chá) deste leite fervido e reserve. No restante do leite acrescente 3 colheres (sopa) de vinagre e mexa um pouco para talhar (5 minutos).
 2°- Coe a mistura em uma peneira, transfira para um pano e esprema bem. Reserve. O que sobrar no pano é uma ricota caseira.
 3°- Em um liquidificador, coloque 2 colheres (sopa) de creme de leite de caixinha, 1 colher (sopa) de margarina, sal a gosto, a ricota (que ficou no pano) e AOS POUCOS junte 1 xícara (chá) de leite fervido (reservado acima). Bata bem até obter um creme liso.
 4°- Transfira este creme para um copo e leve à geladeira para firmar. Retire da geladeira e sirva em seguida com torrada ou em alguma preparação que leve requeijão.
 **Dica:
 Para incrementar seu requeijão, adicione 100 g de mussarela ralada (ou 100 g de queijo minas padrão) ou 1 quadradinho de queijo processado (20 g).

Arroz integral e leguminosas podem prevenir câncer intestinal



Grãos de leguminosas, arroz integral, hortaliças verdes e frutas secas têm algo em comum. De acordo com uma pesquisa da Universidade Loma Linda, dos Estados Unidos, podem ajudar a reduzir o risco de câncer de intestino.
O estudo contou com dados de um levantamento feito há 25 anos com quase três mil pessoas, que descreveram com que frequência comiam certos alimentos. Agora, os voluntários contaram se desenvolveram pólipos (crescimento anormal dentro do intestino), que podem se transformar em câncer. Na análise, os cientistas levaram em conta possíveis condições hereditárias, tabagismo, excesso de bebidas alcoólicas e sedentarismo.
Constatou-se que quem consome leguminosas, como feijão-roxo ou lentilha, pelo menos três vezes por semana, reduz a chance de pólipos em um terço. Arroz integral uma vez por semana diminui a probabilidade em dois quintos e, hortaliças verdes cozidas, ao menos uma vez por dia, em um quarto. Frutas secas três vezes por semana também abaixam as taxas.
O alto teor de fibras dessas iguarias é o responsável pelos benefícios. Além disso, vegetais crucíferos, como brócolis, contêm compostos de desintoxicação, o que melhora sua função protetora.

Exercício físico altera área do cérebro que regula o apetite



Algumas pessoas reagem aos exercícios físicos comendo mais. Outras, comendo menos. Por muitos anos, os cientistas acharam que mudanças hormonais, incentivadas pelos exercícios, ditavam se o apetite de uma pessoa iria aumentar ou diminuir depois de treinar. Mas agora a neurociência está indicando que há uma outra causa provável para essa variação.

Dois estudos recentes sugerem que exercícios físicos podem mudar seu desejo de comer alterando o modo como certas partes do cérebro reagem à visão de comida. Em um desses estudos, os cientistas levaram um grupo de 30 indivíduos jovens e ativos para sessões experimentais em que suas cabeças eram mantidas nos tubos de ressonância magnética.

Os pesquisadores queriam rastrear a atividade em porções do cérebro conhecidas como "sistema de recompensa por comida", que inclui a ínsula, o putâmen e o sulco de Rolando. Essas regiões controlam se gostamos de comida e a queremos naquele momento. De forma geral, quanto maior a atividade cerebral nessas regiões, maior é a vontade de comer.

Para descobrir como os exercícios alteram a rede de recompensa por comida, os pesquisadores colocaram os participantes para pedalar vigorosamente em bicicletas ergométricas ou para se sentarem tranquilamente por uma hora antes de serem colocados nos aparelhos de ressonância magnética. Na segunda sessão de testes, os voluntários trocavam a atividade realizada.

Imediatamente depois, os participantes assistiam a uma série de fotos. Algumas mostravam frutas e legumes ou grãos nutritivos, enquanto outras mostravam gordurosos hambúrgueres, sorvetes com calda e biscoitos. Algumas fotos que não eram de comida foram colocadas entre as outras. Nos voluntários que haviam descansado por uma hora, o sistema de recompensa por comida se acendia na ressonância, especialmente nos itens com muito açúcar ou gordura. Porém, se eles tivessem treinado na hora anterior, essas mesmas pessoas demonstravam muito menos interesse em comida, de acordo com os exames. Seu sistema de recompensa por comida permanecia sem atividade.

Porém, esses resultados podem não ser típicos. Os indivíduos estudados estavam na casa dos 20 anos, dentro do peso ideal e tinham condicionamento físico o suficiente para pedalar vigorosamente por uma hora. Mas essa não é a realidade da maioria das pessoas.

Como um outro estudo da atividade cerebral depois do exercício físico demonstrou, algumas pessoas acima do peso e sedentárias respondem ao exercício acelerando o funcionamento do sistema de recompensa por comida, em vez de freá-lo. Nesse estudo, publicado no ano passado no "Jornal da Obesidade", 34 pessoas acima do peso começaram um programa supervisionado de exercícios de cinco dias por semana, planejado para que cada participante queimasse cerca de 500 calorias por treino. Eles podiam comer à vontade.

Doze semanas depois, 20 indivíduos do grupo haviam perdido peso consideravelmente, cerca de 6 kg, em média. Mas 14 deles não, tendo reduzido somente 1 kg ou nem isso. Esses 14 que responderam pior ao programa de exercícios também haviam demonstrado maior atividade cerebral diante de estímulo visual de alimentos no início do programa. 

Depois de três meses, eles ainda mantinham essa tendência indesejada. Sua rede de recompensa por comida se acendia fortemente depois do exercício quando viam comida e, na verdade, pareciam mostrar mais entusiasmo do que no início do estudo. Os que perderam mais peso, por outro lado, não demonstravam nenhum entusiasmo às fotos de comida depois dos exercícios. 

O que tudo isso sugere, de acordo com o pesquisador da Universidade Politécnica da Califórnia, Todd Hagobian, é que o "exercício tem um efeito definido nas regiões de recompensa por comida". Mas esse efeito depende do perfil da pessoa e do tipo de exercício que ela faz. Ele notou que seus objetos de estudo jovens e em forma completaram duras sessões de resistência física.

"É provável que, para atingir a perda de peso e a manutenção do novo peso, seja necessário não só fazer uma quantidade razoável de exercícios, mas fazê-los com frequência", afirma. Em outras palavras, para que o exercício físico notadamente diminua seu desejo por comida, talvez seja necessário suar durante uma hora. E também pode ajudar o fato de o indivíduo já estar dentro do peso ideal e em forma.

Personalização

Pesquisa vislumbra uma atividade ideal para cada pessoa

Nova York, EUA. O pesquisador da Universidade da Califórnia Todd Hagobian está otimista que as pesquisas relacionando os exercícios físicos à vontade de comer possam ajudar praticamente todas as pessoas a utilizar melhor os exercícios físicos no controle do apetite.

"Pode haver doses ou tipos de exercícios que são mais efetivos para alguns tipos de pessoas do que para outras", ele comenta. Futuramente, as pesquisas cerebrais podem auxiliar a apontar qual tipo de programa de treinamento é mais adequado para cada tipo de pessoa.

Nesse meio tempo, Hagobian recomenda que as pessoas não se acomodem ou se rendam ao sofá, mesmo que a atividade física desperte o apetite. "Estar em forma pode ter efeitos psicológicos", lembra. Alguns desses efeitos podem ser a vontade de se alimentar melhor e, a longo prazo, diminuir alguns quilos.

Segundo o especialista, que conduziu alguns estudos neste sentido, quatro ou cinco anos atrás, realmente parecia que os hormônios do apetite controlavam o que comíamos. "Porém, estou cada vez mais convencido de que é o cérebro. Os hormônios não dizem a você para comer, mas seu cérebro diz. E, se conseguirmos acertar na dose, o exercício físico pode mudar essa mensagem".

Fonte: O tempo/ MG - traduzido de New York Times

Consumo de carne branca e nozes pode diminuir risco de Alzheimer



Alimentos ricos em ômega-3 diminuem proteína associada à doença. Metade de filé de salmão já mostra benefícios 

Um novo estudo sugere que comer alimentos riscos em ômega 3, gordura natural e benéfica encontrada no peixe, frango e nozes, diminui a ação de uma proteína associada ao Alzheimer. A pesquisa foi publicada essa semana na revista “Neurology”, da Academia Americana de Neurologia.

A doença de Alzheimer é uma das formas mais comuns de demência, que leva a alterações progressivas da memória, de julgamento e raciocínio intelectual, e costuma acometer pessoas idosas.

Para chegar a esse resultado, a equipe do neurologista Nikolaos Scarmeas, do Centro Médico da Universidade Columbia, nos Estados Unidos, recrutou 1.219 pessoas acima de 65 anos, sem sinais de demência, para medir o nível da proteína associada a perda de memória no sangue.

Depois de agruparem informações sobre a alimentação dos participantes nos últimos 14 meses, os pesquisadores coletaram o sangue de cada um e mediram a quantidade da proteína e de ômega-3, ômega-6, vitaminas, ácido fólico e gorduras monossaturada e polissaturada depositadas no sangue.

Por meios dessas análises, a equipe de estudiosos descobriu que quanto mais ômega-3 a pessoa tinha ingerido, menores estavam os níveis da proteína.

Segundo o estudo, consumir um grama de ômega 3 por dia, valor encontrado em metade de um filé de salmão, equivale a 20 ou 30% menos da proteína no sangue.

“[...]o resultado pode melhorar nossa confiança nos efeitos benéficos da dieta na prevenção da demência”, diz Scarmeas. 

Fonte: G1 

Seis maneiras de usar bananas que já passaram do ponto




Pode acontecer em qualquer fruteira, ali estão suas bananas de verdes a amarelinhas até começarem a adquirir mais pontos escuros do que você gostaria. Ninguém quer comê-las, mas será que as bananas que passaram do ponto, mas ainda não estragaram são totalmente descartáveis? Não! Saiba como reaproveitá-las, evite o desperdício e descubra novos produtos feitos com a fruta.

1. Esfoliante facial
A banana é um nutriente para a pele muito eficiente e pode ser uma ótima base para esfoliantes faciais. Amasse uma banana com três colheres de café açúcar, uma colher de chá de azeite de oliva e algumas gotas de óleo essencial (baunilha costuma ser uma alternativa bastante razoável por já estar na maioria das cozinhas). Massageie o rosto com a mistura e enxágue. Você sentirá a pele renovada. Para um tratamento rápido de nutrição da pele, apenas massageie a banana amassada, deixe agir por alguns minutos e enxágue.

2. Gelinhos de bananas
Que tal tomar uma bebida refrescante para alegrar o dia? Para tornar tudo ainda mais doce e saboroso, troque os cubos de gelo por pedacinhos de banana congelada. O resfriamento restabelece a fruta e a torna mais que apropriada para o consumo. As bananinhas geladas também podem acompanhar outras bebidas geladas, como vitaminas e até sorvetes.

3. Ressucitar roseiras sem flores
Se a flor em sua roseira desapareceu, tente isso. Jogue o purê de uma banana madura com meio de copo de água no liquidificador. Levemente cave o solo em torno da rosa, e despeje a mistura no solo. Criadores de rosas garantem que logo ressurgem os botões.

4. Nutrir as plantas
Coloque uma casca de banana em uma jarra ou garrafa grande e cubra com água. Utilize este "suco" na sua rega regular pode: uma parte de suco de banana para cinco partes de água e regue-as sem medo de ser feliz. Você pode continuar adicionando água no suplemento para manter a água do seu fertilizante caseiro sempre fresca.

5. Doce de banana
O cozimento das bananas na hora do preparo do tradicional doce de banana faz com que as bananas usadas não precisem ser as mais frescas da sua fruteira, além disso, por estarem mais maduras, costumam estar mais adocicadas. Procure sua receita preferida e saboreie sem desperdiçar.

6. Polir sapatos
Alguns marinheiros trocavam as graxas tóxicas por cascas de banana na hora de polir os sapatos. É uma ótima maneira de reduzir o desperdício de dinheiro, reduzir a quantidade de material tóxico em contato com o seu organismo e, é claro, reutilizar uma parte esquecida da fruta – a casca. Use a banana em qualquer uma das dicas acima. Esfregue a parte interna da casca no sapato. Os óleos e o potássio ajudam a nutrir o couro e preservar seus sapatos.  Você pode ter sapatos engraxados sem danificar a sua saúde ou o ambiente. E depois é só usar a casca para fazer a compostagem caseira.


Crocante de queijo cremoso light



Receita saborosa de aperitivo é aliada da dieta

Ingredientes: 
4 colheres de sopa de cream cheese light
8 metades de nozes
1 dente de alho
2 ramos de manjericão fresco
1 colher de chá de sal
12 torradas para canapés

Modo de Preparo: 
Ferva uma xícara de água e mergulhe as folhas de manjericão até murcharem. Escorra apertando bem até extrair todo o líquido e pique-as. Reserve. Em uma tigela, misture o cream cheese, o manjericão, o alho espremido, o sal e reserve. Pique as nozes e reserve. Faça um rolo comprido com o queijo temperado e passe cuidadosamente sobre as nozes picadas. Leve à geladeira por 2 horas. Montagem: Sobre cada torrada coloque uma fatia do rolo de queijo. Enfeite com folhinhas de manjericão frescas e sirva a seguir.


Valor calórico: 51,0 Kcal/unidade
Rendimento: 6 porções

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Alimentação balanceada da mãe auxilia a amamentação



Após a alegria da chegada do bebê, muitas mães começam a ficar preocupadas com o peso, especificamente, em perder os quilos a mais que ganharam durante a gravidez. Mas até que ponto isso é saudável? Até o momento em que a alimentação da mãe não prejudica a saúde do bebê. Isso porque o leite materno é o primeiro contato da criança com os alimentos.

A alimentação da mãe precisa ser balanceada. Quanto mais variada for a alimentação da mãe, um aporte maior de nutrientes vai ser oferecida à criança. E quanto maior a variação, melhor, porque quando a criança for começar a comer aos seis meses, já vai ter um contato prévio dos alimentos que ela recebeu via leite materno.
 
E qual seria o melhor cardápio sugerido para as mamães?
 
Uma alimentação que inclui almoço e jantar, com arroz, feijão e carne; e lanches com frutas e verduras, excluindo todos os outros alimentos ricos em açúcar, gordura e sal. Estes alimentos não são recomendados nem para um adulto normal, muito menos para uma gestante, porque se a mãe tiver uma alimentação que não é saudável, o bebê vai ser exposto precocemente a alimentos não saudáveis, favorecendo a preferência da criança por esses alimentos que a mãe come. É importante também que a mãe beba muita água.

A mãe também tem que ficar atenta a alimentos como refrigerantes, chocolates, cafeínas, amendoins e temperos fortes, porque isso pode resultar em cólicas e alergias no bebê. Muitas vezes a mulher sai do hospital restrita a consumir inúmeros alimentos. É como se ela pudesse comer só frango e arroz. E não é essa a proposta. A orientação é que a mãe evite café e chocolate logo após ter ganhado o bebê. Não que ela não possa tomar um cafezinho de manhã com leite. Porque tudo o que a mulher consome vai passar por meio do seu leite para seu bebê.

Procure um nutricionista, tenha uma vida saudável e transmita isso para seu bebê!

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Alimentação saudável sempre


Sanduíche de forno


Espinafre e queijo minas rendem um recheio muito saboroso



Ingredientes1 colher (sopa) de azeite; meio maço de espinafre picado; 300 g de maionese light; 1 colher (chá) de orégano seco; 200 g de queijo-de-minas frescal ralado no ralo grosso; 18 fatias de pão de fôrma integral sem casca; 1 xícara (chá) de leite 

Cobertura50 g de queijo parmesão ralado light

Modo de preparo1- Em uma panela média aqueça o azeite e refogue o espinafre até secar todo o liquido. Retire do fogo e deixe esfriar
. 2- Reserve 3 colheres (sopa) de maionese light para a cobertura. Divida o restante em 2 partes. 
3- Passe uma parte da maionese light para uma tigela e acrescente o espinafre refogado. Misture até obter um creme homogêneo. Reserve.
4- À parte misture em outra tigela o restante da maionese light, o queijo e o orégano. 
5- Preaqueça o forno em temperatura média (180º C). 
6- Unte um refratário retangular médio (31 x 19 cm) e reserve. 
7- Umedeça as fatias de pão no leite e monte camadas alternadas de pão, creme de espinafre, pão, creme de queijo e finalize com o pão. 

Cobertura8- Espalhe a maionese light reservada, polvilhe o queijo ralado e leve ao forno por 30 minutos ou até começar a dourar. Sirva em seguida.

Rendimento  6 porções 
© Blog da Magda Vieira - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Giovanna Lacerda.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo